27 de outubro de 2013

As grandes batalhas da vida!

A vida se faz na ação, se faz no agir, se faz no presente, se faz em processo dinâmico, se modifica rapidamente ou continuamente, de forma grotesca ou sutilmente. O tempo imprime marcas, as escolhas moldam do corpo ao caráter e integridade de cada um.

Lutamos sempre e diariamente por condições melhores, por mais conhecimento, para sobreviver, ou melhor ainda para viver, para encontrar um lugar para ficar, para encontrar um lugar e se encontrar. Para cumprir horários, compromissos, para conquistar um espaço no mundo profissional, na vida dos outros ou na sua própria agenda para se dar ao luxo de fazer nada ou o que quiser.

Luta para entender as pessoas, o contexto, até mesmo se entender. Luta para ter dinheiro, luta para ter bens, luta pelo bem, luta para ter direitos, luta para saber, luta para proteger-se e a quem está ao redor, luta pela qualidade de vida, pelo bom físico, pela boa alimentação. Luta para ser reconhecido, luta para administrar responsabilidades, luta para cuidar de necessidades diárias. Luta para planejar, para decidir, para seguir, para vencer a preguiça, o tédio, a acomodação. Luta para vencer desafios, superar dificuldades, seguir em frente, luta para ser, luta para amar, para sentir-se feliz.

A vida é também poder reencontrar sua segurança, voltar do campo de batalha e descansar em paz, aconchego de lar, abraço de irmão, colo de pai, afago de mãe, carinho de vó, papo de tia, conversa de amigo, lambida de cachorro.

Fonte: Reprodução/ http://goo.gl/jskfAM
A vida é a força do sentimento, palavra e gesto... é respirar e inspirar, a si e aos outros... e é preciso a vida é aproximar e saber distanciar. A vida é voar e pousar, é ter ancoras e poder navegar. A vida é vento que bate, onda que vem, pássaro que voa... é natural. A vida é ter um o lar e pelo mundo viajar, é ter amigos e inimigos para poder não duvidar, é ter fibra, coragem, enfrentar. É perder, é ganhar, é tentar, é querer, é poder e não poder. A vida é doce, é amarga, é salgada, é experiência de momentos e é lembranças. É viver o presente, sonhar o futuro, reviver as saudades.

A vida é  poder desfrutar do que temos a graça de poder fazer...  é sentimento de paz, de dever cumprido, de bateria recarregada, de poder recomeçar, de ter um porto-seguro, de ter com quem contar, de se saber entendida, de saber renascer de si, de ter certeza de aceitação, de principalmente se aceitar, de poder olhar a vulnerabilidade frente as nossas batalhas...

E o quanto nossas batalhas são na verdade mais para a gente do que para o mundo... devemos viver nossa fases, nossas necessidades, nosso momento. A vida é a sensibilidade de saber a hora de entrar em cena e a hora de sorrateiramente sair, a hora de dizer e de calar. É entender que cada um tem a sua para cuidar... é saber seguir junto e saber que uma hora as estradas podem mudar.

A vida é um processo de evolução contínua, não é sacrifício mas esforço. Não é força contra alguém mas força de vontade para cumprir as determinações, valores e preceitos... estas são as armas que nos permitem vencer. E nas grandes batalhas da vida, somos nós contra nós... para decidir nossa história em cada pequena escolha que realizamos nesta jornada magnífica.

Autora: Nathalia Wilke

16 de outubro de 2013

Fui assaltada!

Se isso te chamou atenção para continuar a ler, você precisa da mensagem que tenho para trazer hoje. Essa não é mais uma manchete que nos convida a ter medo, falta de crença na humanidade e desconfiança nas pessoas.

É impressionante como as notícias ruins chamam atenção e se disseminam facilmente, temos várias delas diariamente nos bombardeando por diferentes meios de comunicação. Quase nunca recheadas de esperança e otimismo, dão voz ao mal, espaço publicado e além disso texto, imagens e o que mais seja possível.

Posso fazer diferente?

Fonte: Reprodução/www.osvigaristas.com.br
Gostaria de deixar a minha notícia boa para todos vocês com relação à esse fato. Fui assaltada por dois homens armados, um tremendo susto, mas sou grata. Não pelo palpitar do coração e respiração ofegante, nem pelo choro de nervoso e a percepção do que poderia ter acontecido. Não seria tão romântica a ponto de ficar feliz com a violência explícita ou velada. Mas grata, porque pude re-significar a importância de cada dia de vida, me realinhar com o sentido de existir.

E em especial, por ter conhecido cinco pessoas que nunca havia visto antes na vida. Anjos em forma de gente! Pessoas que naquele momento puderam me acalmar, acolher, confortar e ajudar a voltar ao meu centro de equilíbrio emocional. Gostaria de dizer ao mal estampado em revistas e jornais, noticiado em TVs, redes sociais e comentado boca-a-boca: Jogo no outro time, do bem, e vencemos nesse dia! E podemos vencer em muitos mais!!! Dois homens me assaltaram, mais do que o dobro de pessoas me acolheu!!! O bem não está em silêncio, tem corpo, palavras, um abraço, um copo de água e traz a fé de que dias melhores podem vir. Obrigada a quem joga pra esse time, independente da posição que ocupa nele!

Somos do bem, bons e juntos, melhores ainda! 


13 de outubro de 2013

Nos palcos da vida

Há uma clássica frase de Charles Chaplin que dizA vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos.” A existência se estrela no palco da vida. Muitas vezes com cenas sem testemunhas. Como as das vitórias silenciosas que temos no interior de nosso ser, ao encarar os nossos medos, angústias, dúvidas e os mais diversos desafios com coragem! 



Por outras vezes histórias se encontram e se juntam compondo algo maior, inesquecível. Em que mais do que haver testemunhas, há apoio para sonhar e chegar mais longe. Para isso não basta simplesmente olhar, é preciso ver. Não basta escutar é preciso ouvir. Entrar em contato com a alma e os sentidos!

Assim acontece o espetáculo diário: Variam os cenários, as pessoas, acontecem situações planejadas, outras surpreendem e exigem improvisos, fazem com que tenhamos que atuar sem preparação prévia mas com a vida cobrando decisões e a melhor postura possível. Dos tantos acontecimentos, alguns fazem refletir e nos transformam. Não podemos controlar as situações todas, mas podemos escolher como agir. E seja em um relacionamento, um filme, uma música, um livro ou um espetáculo, o que inspira e tem mais sentido é o que toca o coração no que temos de mais humano, a sensibilidade.


Sentimento é a coisa mais fina e nobre do mundo! 
Sensações, emoções, percepções...

Sendo essenciais para a vida, sabem nos dizer de coisas que não vimos. Carregam a força de mover, modificar e edificar feitos. Expressar emoção com palavra é tarefa desafiante. O dizer altera o que é dito. Só o estar feliz diz a felicidade, só o sofrer diz o sofrimento. Na palavra ninguém o reconhece, ou o reconhece de forma diferente. Esta forma que já não o reconhece quem o conta. Em um mundo muitas vezes frio, racional e calculista não há nada melhor do que quando encontramos pessoas que dão voz à sua essência e deixam transbordam os sentimentos mais belos. 

E assim, por sentirem-se bem, convidam a nos sentirmos assim também!  

Autora: Nathalia Wilke