30 de março de 2014

Dance

A dança nasce da necessidade de se dizer o indizível,
pois nada é mais revelador que o próprio gesto.
Dançar é como crescer, um processo lento, cheio de surpresas e lutas.

Na dança não é suficiente apenas sentir o que se faz, mas transmitir o que se sente. Alimento para a alma, alento para o espírito. Traz a verdadeira alegria de poder reconhecer e expressar, de forma simples e direta, os anseios internos.

Acrobacias que exigem muito mais que horas de treinamento.
Que só a ousadia tem a capacidade de explicar.
A realização de feitos que parecem impossíveis de se concretizar.

O impossível pode ser dividido numa série de pequenos possíveis.
É preciso misturar, em doses certas, força e sensibilidade.
Conhecer limites e capacidades.
Fonte: Reprodução/http:\\enoughstrengthfortoday.com
Dançar é escrever com o corpo no espaço estendido á frente,
alongar-se,encolher-se, rodopiar, inclinar-se.
Dança é mudança de espaço, do tempo.
Afasta do perigo de não recriar-se a cada instante.
Exige que se saiba perder os caminhos,
mas saiba recuperar os destinos.

Tudo gira,
Tudo vira,
Tudo salta,
Tudo flui
Samba,
Sapateia,
Forrozeia,
Salsa, Valsa,
Viva a dança!

Dança viva, torna uma música visível.
Eu louvo a dança, pois demanda empenho e presença,
fortalece a saúde, faz do espírito iluminado.

Fonte: Reprodução/www.meetup.com
Dance pra você, dance pra alguém, dance com alguém.
A dança exige o homem todo, ancorado em seu centro.
Requer os homens libertos, ondulando no equilíbrio.

Pratique. Aperfeiçoe. Supere. Solte. Entregue. Frequente. Apareça. Acelere. Desacelere. Descubra estilos. Encontre o seu. O dançarino é feito de retalhos dos deuses, lançados pela Terra, para que não possam ser esquecidos em sua divindade...

Um Constante aprendizado.
Quando parecer que você é muito experiente, perceba que ainda há muito mais a descobrir.
Até o infinito pode ter alcance pra você! Corpo e mente em perfeita harmonia: Essa integração que nos permite sonhar mais alto, alcançar vôos muito, mas muito maiores!!!

Autora: Nathalia Wilke (Baseado nas palavras de: Mário de Andrade, Santo Agostinho, Sônia Imenes e Letícia Brandão Clevane Pessoa de Araújo Lopes)

22 de março de 2014

Espírito das águas

Sou suave como a gota de orvalho e profunda como um oceano.
Em granizo enfrento o frio, em vapor luto com o calor.
Através das marés brinco com a lua, correndo desço um rio.
Eu sou o espírito das águas!

Gélida, cálida, derretida ou congelada, mar ou rio, doce ou salgada, lago ou riacho,
cachoeira ou cascata, nascente, vapor ou pingo de chuva. Mas sempre água.

Tomo a forma que quiser!
Me coloque em uma xícara e me torno xícara.
Me coloque em um copo e torno copo.
Me coloque em uma garrafa e me torno garrafa.

Estou nas nuvens do céu, na chuva, na garoa e debaixo da terra.
Estou nos oceanos distantes, nas nascentes dos rios, nas profundezas do ser.
Estou em você em quem está do lado e quem está do outro lado do mundo.
Bastidores de "Mensagens da Água para uma Vida Saudável
Minascentro - BH/2013 - Créditos da fotografia: Rafael R. Lemos
Posso ser o suor do trabalho, posso ser a lágrima da emoção
Posso ser uma gota, posso ser o mar inteiro
Posso ser o banho que você toma no chuveiro

Fluo sem me deter diante de rochas ou precipícios,
Crio belos rios, lindas cachoeiras e mares inesquecíveis.
Abro caminhos quando tentam deter o meu curso.

Sou o caminho dos navegantes, o oásis do deserto.
Sou o rio da vida, sou a própria vida
Sou clara, transparente, pura e simplesmente você!

Entrego minha mensagem a quem sabe escutar com todo o ser, fluindo invente os teus segredos com o mar que as ondas do meu som vão te encantar, deixa o som te envolver, deixa o sorriso aparecer.

Autora: Nathalia Wilke

16 de março de 2014

Ah, mar!

Que as águas passadas passem, abrindo novos caminhos
Novos ares, novos mares e que assim se possa seguir fluindo,
levemente nas águas da vida.

Navegar é preciso...

Embora ninguém tenha plena razão,
Cada um sempre terá as suas

Que fique a brisa que tocou o rosto,
que fique as paisagens vistas, o sol quente
numa lembrança de um certo horizonte vislumbrado, já distante
Fonte: Reprodução/sitedepoesias.com
Enfrente, em frente
Espírito aberto, coração pulsante, consciência aguçada.

Nada é estático, nem nós podemos ser.
Somos passageiros e capitães da vida
Nem à deriva, nem ancorada,
no more, now mar!

Em cada porto uma partida
A cada partida, uma chegada.

Contra ou a favor do vento, navegar
nesses mar de mistérios...
Ah, mar!

Autora: Nathalia Wilke 

12 de março de 2014

Futebol e Política – Um paralelo

Brasileiro adora torcer, ficar na arquibancada fazendo barulho. Se o time ganha, que alegria! Se perde, cada torcedor convertido em especialista e exímio entendedor tem a sua justificativa: foi o juiz, foi o fulano, foi o técnico. Nestas circunstâncias, o verbo é solto, o juiz é ladrão, o técnico é péssimo e sobra até para as coitadas das mães. Se o time para o qual se torce ganha, não importa se foi gol roubado ou se foi jogo comprado, a vitória é comemorada da mesma forma.

Já com a política, sempre ficou na torcida mais calado, vendo o time que eles próprios escalaram para jogar. Mal, mas deixa eles lá jogando afinal política e religião não se discute não é mesmo? Não! Recentemente vimos epódios de que o brasileiro está farto, foi para as ruas, se lembrou agora de olhar mais para o time da política e deu o grito. Mas peraí, quem escalou eles para jogar na posição que estão? Os "técnicos" da politica somos nós!

Quanta indignação o time vem nos dando mas temos o poder de sair da arquibanda e assumir a escalação. Não somos torcida, somos os técnicos e, as escolhas, nao podem ser feitas leigamente. O poder é nosso, salve a "seleção", salve a nação com um voto consciente. E, assim como técnicos de futebol cobram de seus jogadores, devemos cobrar de nossos governantes. Não adianta só fazer barulho contra o time querendo que joguem o que não jogam e marquem os diferentes gols que queremos. Precisamos saber quem elegemos primeiro e depois saber cobrar de cada um nas suas respectivas posições, não que zagueiros façam gols e centro avantes que defendam o time.
Fonte: Reprodução/blog.estadao.com.br
Se eles estão jogando mal, e nós, como estamos em nossos papéis de "técnicos" e como jogamos, fazemos o que acreditamos, somos íntegros na menor das coisas? Um país se faz de pessoas e a mudança começa em cada pequena grande atitude escolhida por nós.

Autores: Nathalia Wilke e Leandro Jacques.

8 de março de 2014

Escolher é humano!

Talvez fosse melhor se eu fosse você e você fosse eu! Que tal?
Solucionaríamos muito da humanidade e quem sabe, ela toda!?

Eu acho muito curioso que quando é para resolver a vida dos outros temos respostas.
Quem nunca utilizou estas frase ou quem nunca ouviu alguém a dizer:

Se eu fosse você eu faria isso, se eu fosse você eu diria aquilo, se eu fosse você não pensaria duas vezes...

Se eu fosse você, saberia exatamente tudo o que fazer!
Acontece que eu sou eu e você é você! 

A verdade é que se eu fosse você eu suponho que saberia como agir em determinada situação em que você se encontra (e vice-versa, versa-vice). É muito mais fácil pensar em como faríamos o que na verdade não vamos fazer, pensar na melhor decisão para o que não nos envolve. Afinal, as responsabilidades e as consequências não serão nossas. 
Fonte: Reprodução/renatofelix.wordpress.com
Como é quando as suas escolhas são para você mesmo? Porque enquanto estiver vivo, você sempre terá milhares delas.  Como disse Vítor Frankl, que viveu nos campos de concentração do holocausto: "Tudo pode ser tirado do homem, menos uma coisa: a última das liberdades humanas - escolher sua atitude em qualquer circunstância, escolher o próprio caminho."  E não se engane, até mesmo não escolher é uma escolha e nada é pequeno, até questões como "o que vou comer hoje?" acabam decidindo e muito a longo prazo.

A questão é, ou as questões são: você assume suas decisões ou deixa passar oportunidades, "deixa a vida me levar"? Você identifica suas possibilidades para se colocar ou vai vivendo para ver no que dá? Você se organiza no tempo? Toma atitudes alinhadas com seus sonhos e valores em que acredita? É fiel a você ou só quer é agradar? Quer aprendizado ou comodidade? Escolhe por medo ou por coragem? De acordo com o que os outros esperam de você ou de acordo com o que espera de si mesmo?

Ao invés de usar o "se", precisamos assumir o papel e ter atitude no que realmente nos compete: Nossa história! E por mais que todos digam o que acham melhor, que pareça aos olhos das pessoas escolhas simples de fazer;  Por que custa tanto escolher para quem é o dono da decisão?

Fonte: Reprodução/www.tomcoelho.com
Talvez o ponto central da dúvida seja querer buscar o melhor, querer acertar.
E também, termos dificuldade de lidar com o fato que um caminho exclui outro.
Não podem várias experiências ocuparem espaço ao mesmo tempo em uma vida.
É preciso saber: "Ou isto ou aquilo. Ou aquilo ou isto.", como diz Cecília Meireles.

O pensamento e  sentimento nos fazem reconhecer o mundo e as pessoas de acordo com suas lentes e bagagens. Possuem a maestria de nos ajudar e confundir ao mesmo tempo! Com a mesma facilidade que se considera um ponto de vista, se pode mudar a visão de acordo com o ângulo. E tudo tem 3 lados, talvez até mais, quantas interpretações cabem em uma mesma situação?

Tem coisa que esbarra na ética ou no bom senso e o que é certo é certo mesmo que poucos façam, o que é errado é errado mesmo que muitos façam e ponto final. Tem coisa que simplesmente é uma bifurcação, que não há estrada mais certa ou errada. Existe simplesmente estradas e você, que olha e decide. E ai?
Fonte: Reprodução/hugolapa.wordpress.com
Porque pensamos que conhecemos os caminhos que não vivemos? Ou será que o que fazemos é idealizar ou pintar monstros da forma que nos convêm já que imaginar é bem mais simples que viver?  

Isso de pensar que sabemos da nossa história parece nos delegar um certo controle sobre a nossa existência, que buscamos ter para atenuar a angústia de certa incerteza em relação ao futuro. É claro que planejamento faz bem, mas todo planejamento não contempla tudo por melhor que seja. É um norte mas os caminhos que pensamos serão possivelmente percorridos de forma diferente da que imaginamos, a vida não cabe no pensamento e imaginação; Se coubesse que sentido faria vivê-la?

Nunca sei ou saberei exatamente do que não vivo:  como seria se fosse ou como poderá ser se for. Só tendências, só ideia... mas a vida é criação, é co-criação, é construção!

Meus caros, escolher é humano. E se errar? Também é uma escolha, por não aprender.
Porque somente erra mesmo quem não transforma as experiências em aprendizado!

Autora: Nathalia Wilke